Blog

O uso da Cannabis em tratamentos neurológicos

Já abordamos anteriormente neste blog como o uso de produtos à base de Cannabis pode ser benéfico no tratamento de transtornos como o Alzheimer, a epilepsia e a esclerose múltipla.


Não restam dúvidas, então, quanto ao potencial benéfico dos compostos derivados da Cannabis em relação a tratamentos de distúrbios neurológicos. Principalmente o canabidiol (CBD) tem se mostrado um grande aliado nesse sentido.

E esse pode ser um desafio ainda maior no futuro devido à pandemia de COVID-19. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, os danos neurológicos causados pelo Sars-Cov-2 foram encontrados até mesmo em pacientes que não apresentaram sintomas respiratórios.

Além disso, um estudo publicado em 29 de setembro deste ano pela mesma entidade mostra que pessoas que já sofriam de transtornos neurológicos apresentaram maiores chances de complicações devido à COVID-19. 

Nesse contexto, torna-se necessário olhar com mais detalhes os transtornos neurológicos mais comuns e como os compostos derivados da Cannabis podem ajudar em seu tratamento. 

Doenças do sistema nervoso

Na 10ª versão do Código Internacional de Doenças, as doenças que afetam o sistema nervoso estão listadas no Capítulo VI (G00-G99).

Existem, portanto, uma ampla e diversa gama de condições ligadas diretamente à rede neural do corpo humano. 

Porém, algumas delas se destacam pela sua prevalência ou gravidade como dores de cabeça, epilepsia, AVCs, esclerose lateral amiotrófica (ELA), Alzheimer, trastornos do espectro autista, esquizofrenia e o Mal de Parkinson. 

Como os compostos da Cannabis interagem com nosso corpo

Humanos e outros mamíferos produzem naturalmente endocanabinóides, substâncias químicas que interagem com os receptores de canabinóides no cérebro e em outras partes do sistema nervoso central. É o chamado sistema endocanabinóide


A Cannabis possui mais de 100 canabinóides, compostos quimicamente semelhantes aos endocanabinóides que nosso corpo produz.

Os dois principais, THC e CBD, são os mais abundantes e estudados e, principalmente esse último tem mostrado  grande potencial no combate a alguns dos principais distúrbios neurológicos.

No cérebro, a principal função do CBD é a redução de inflamação, que está ligada a diversos distúrbios, como ansiedade, depressão, problemas de memória, derrames, epilepsia, Alzheimer, fadiga e confusão.

O mesmo efeito anti-inflamatório é reportado também no restante do corpo, agindo através do sistema endocanabinóide.

Esses canabinóides interagem com receptores no sistema nervoso humano, incluindo aqueles no cérebro, e desempenham um papel na forma como os neurônios se comunicam entre si.

Os dois mais conhecidos, são os receptores CB1 e CB2. O CB1 prevalece no sistema nervoso central e afeta a regulação da dor, apetite, humor, coordenação entre outros.

Já os receptores CB2 prevalecem por todo o corpo e sistema imunológico, com fortes efeitos em dores e inflamações. 

O CBD tem um efeito leve nos receptores chamados CB1, e com isso bloqueia os efeitos psicoativos do THC. O CBD também inibe a degradação da anandamida, aumentando seus níveis. Estudo mostra que essa interação contribui para o alívio de sintomas psicóticos na esquizofrenia, por exemplo.

O sistema endocanabinoide também contribui para homeostase, ou seja, o equilíbrio do organismo para seu bom funcionamento.

O futuro do tratamento com canabinóides para doenças neurológicas

Apesar do grande potencial demonstrado e uso terapêutico de compostos canabinóides já ter tido eficácia apontada por estudos para uma série de transtornos neurológicos – a exemplo dos citados no começo deste artigo- , a proibição da Cannabis em grande parte do mundo têm atrasado um maior número de pesquisas na área.

Ainda assim, na ciência é cada vez maior a esperança de que esses compostos naturais possam ajudar no tratamento de uma série ainda maior de enfermidades neurológicas, aliviando os sintomas e condições que afetam milhões de pacientes.

Se desejar, nesta página, é possível preencher um cadastro e solicitar a visita de um dos nossos consultores para informações sobre produtos, posologia e pesquisas sobre a efetividade do uso do canabinóides no tratamento das mais diversas patologias.

Compartilhe:

Share on facebook
Share on twitter
Share on pinterest
Share on linkedin

Matérias Relacionadas